Gestão para Igrejas

Neste artigo queremos introduzir você no mundo da administração e, dentro do nosso nicho, a gestão para igrejas é o foco principal do que vamos teorizar.

Segundo o dicionário, a palavra gestão significa gerenciamento, administração, onde existe uma instituição, caso das igrejas, uma empresa, uma entidade social de pessoas, a ser gerida ou administrada.

Ainda segundo o dicionário, o objetivo da gestão é o crescimento da empresa ou instituição, através do esforço humano organizado.

Depois da revolução industrial, profissionais partiram em busca de soluções para problemas que não existiam antes. Desta forma, começaram a utilizar métodos científicos para gerir os negócios da época, assim nasceu a ciência da administração.

A gestão pertence ao ramo das ciências humanas, visto que trata com pessoas. Assim, ela busca manter a sinergia entre elas, unindo recursos humanos e materiais na busca de melhores resultados.

Teste Grátis!

Gestão Online para Igrejas Evangélicas
Aplicativo completo, fácil e prático para o controle total da secretaria e do financeiro através do computador ou celular.

Porque a igreja precisa de gestão

A igreja constituída, com seus estatutos e devidamente inscrita no cnpj, é acima de tudo uma instituição, e como tal ela tem suas prerrogativas e também suas obrigações.

A igreja vista como instituição está atrelada ao plano terreno, é o prédio, sua constituição jurídica, sua diretoria e seus membros. E essa instituição precisa sobreviver, ela tem que contar com recursos humanos e materiais para continuar existindo.

É neste contexto que percebemos a obra material da igreja, desde o seu surgimento. Nesse sentido, nos fala a Bíblia (Atos 4:34) que não havia necessitados entre os que estavam na igreja.

Em outra passagem encontrada na Bíblia (Atos 6:1-2), a igreja de Jerusalém ajudou as viúvas e pobres que ali congregavam. Do mesmo modo, quando a igreja local não dava conta de sustentar os seus necessitados, outras congregações enviavam recursos para socorrê-las (Atos 11:29).

Desta forma, as igrejas que tinham mais recursos ajudavam as mais pobres, num verdadeiro espírito de fraternidade e amor que deve transparecer na verdadeira igreja de Cristo.

E agora, além dessa missão de cunho espiritual e evangelístico, a igreja também tem que cumprir suas obrigações institucionais. Isto é, voltar um pouco dos seus recursos para dar conta da burocracia, enfim, cumprir as obrigações jurídicas, contábeis, tributárias e fiscais.

É desnecessário, porém importante dizer, que tudo isso tem um custo. Dessa forma, a instituição igreja é taxada com um preço pela sua própria existência, para provar quem é, para angariar recursos, ela tem que cumprir com as questões burocráticas.

E para tudo isso, nestes tempos modernos, a igreja como instituição, tem que acompanhar a evolução da sociedade e da tecnologia. Com efeito, precisa melhor administrar todas as suas atividades, desde a gestão de membros até a gestão financeira.

O papel da igreja como instituição

Neste artigo Metas para a Igreja Crescer salientamos que a igreja quando trata das questões materiais é organização; da mesma forma, quando se relaciona com pessoas e a comunidade, tratando das questões espirituais é organismo.

Enquanto instituição, a igreja deve cumprir o papel que lhe é outorgado pelo estado. Para Max Weber, ao promover ensinamentos religiosos, a igreja reforça os valores morais e passa aos seus fiéis noções de bem e mal.

A igreja cristã incentiva a construção de relacionamentos conjugais permanentes, com base no respeito e na afetividade. Nos seus ensinamentos a igreja valoriza a família, a partilha de um projeto de vida entre o casal e a paternidade responsável.

Ao incentivar esses valores a igreja contribui para a construção de uma sociedade mais justa e mais fraterna. Do mesmo modo, ao ensinar valores morais e espirituais, ajuda a construir o caráter dos indivíduos, bem como dá suporte espiritual aqueles que necessitam.

As igrejas, incentivam a formação de grupos de jovens e crianças, transmitindo-lhes ensinamentos que auxiliam nos relacionamentos com o próximo e com o sagrado, ao mesmo tempo em que aprendem, elas evoluem e crescem.

Gestão da membresia

A igreja é o conjunto das pessoas que a frequentam juntamente com a sua liderança e a sua diretoria. Um dos grandgestão para igrejases desafios das igrejas de hoje é gerir a sua membresia e para que isso seja feito é necessário conhecer as características dos seus membros.

E para obter sucesso na gestão se faz necessário dividir a membresia conforme o seu perfil. Desta forma, estratificar casados e solteiros, jovens e adultos, homens e mulheres, batizados e não batizados.

Esse trabalho de estratificar os membros agrega valor a igreja e facilita o trabalho de evangelização. Tendo seus membros segmentados a igreja consegue desenvolver um trabalho voltado as necessidades de cada grupo.

Assim é possível mapear dificuldades, personalizar o modo de interação com as pessoas, planejar metas diferenciadas para cada grupo e até mesmo descobrir novas oportunidades de evangelização.

Essa é uma tarefa que cabe a secretaria da igreja, o secretário precisa ser treinado e conhecer bem as suas atribuições e responsabilidades.

Um bom exemplo é esse artigo Controle e Acolhimento de Visitantes na Igreja que dá uma ideia de como lidar com visitantes.

Gestão administrativa da igreja

Enquanto existe como instituição a igreja precisa gerir de maneira eficiente seus recursos para maximizar os seus resultados. A gestão para igrejas tem a finalidade de gerir eficientemente os recursos.

A gestão administrativa vai coordenar os recursos e os esforços da igreja com o objetivo de alcançar seus resultados. Sendo assim, para realizar essa tarefa, o gestor precisa organizar as necessidades, os meios e os recursos disponíveis em cada setor.

A gestão administrativa ajuda a dividir o trabalho e delegar funções específicas entre os colaboradores, determinando de forma clara as responsabilidades de cada um.

É necessário que cada tarefa seja gerenciada com o intuito de compartilhar informações internas; assim é importante o uso de sistemas informatizados e a supervisão de um responsável com poder de decisão.

Gestão financeira da igreja

No Brasil, as igrejas de qualquer culto são contempladas com o instituto da Imunidade Tributária. Juntamente com essa benesse, vem a obrigação de prestar contas de suas atividades, justamente para manutenção da imunidade constitucional.

Isso significa ter um apurado controle da sua contabilidade, e isso não é possível sem uma boa gestão financeira.

Gestão financeira é um conjunto de ações e rotinas administrativas que envolvem planejar, analisar e controlar as atividades de natureza econômica de uma instituição ou empresa.

Resumindo, é tudo que se refere a receitas, despesas fixas e variáveis, investimentos e os valores do patrimônio da instituição. Desse modo, é tudo que envolve o dinheiro da igreja. Isso é gestão para igrejas.

Por tudo isso, é importante a igreja contar com um eficiente sistema de gestão, que inclua numa única ferramenta toda a administração da igreja. Desse modo a instituição ganha relevância na gestão e impacta positivamente no trato com a membresia.

Conheça o SIGIWEB uma ferramenta completa para gestão de igrejas que conta com todas as rotinas necessárias para agregar valor na sua administração.

Artigos Relacionados

Deixe um Comentário