A importância do Dízimo para a Igreja
A importância do Dízimo para a Igreja

Um pouco sobre a história do dízimo e sua importância para a Igreja

Mesmo antes da vinda do Messias, encontramos no Velho Testamento várias passagens sobre a “devolução do dízimo” ao Senhor. Desde lá, até os tempos atuais, as igrejas são mantidas exclusivamente pelos dízimos e ofertas de seus membros.

Se os membros deixarem de contribuir, a igreja pode passar por dificuldades ou mesmo deixar de existir, justamente por falta de recursos para sua manutenção. É necessário transmitir aos membros a ideia de que a igreja é a nossa segunda casa e exaltar a sua importância em nossas vidas.

O dízimo é bem antigo na Bíblia, muitas vezes nós nos confundimos e achamos que o dízimo foi instituído pela lei de Moisés. Entretanto, no livro do Gênesis há um relato onde Abraão deu dízimos ao sacerdote Melquisedeque. Em outra passagem Jacó, filho de Abraão, em vista do que aprendeu com seu pai, também foi fiel a Deus com os dízimos.

Todo cristão deve ter o entendimento de que dízimo não é pagamento, Deus fez o mundo e tudo o que há nele, ele é o único dono de tudo. Na livre expressão de pensar como ser humano, quando viemos a esse mundo viemos sem nada e quando partimos, partimos sem nada.

Como dito um pouco mais acima, o dízimo já era prática antiga entre os judeus, era uma ordem que vinha de Deus para o seu povo e era uma forma de reconhecer que o sustento de cada um vem exatamente de Deus, o Senhor de todas as coisas.

Jesus quando foi perguntado sobre o dízimo, conforme consta no Livro de Mateus, capítulo 23, orientou aos fariseus que além de dar o dízimo deveriam também praticar a justiça, a misericórdia e a fé. Assim percebemos que o dízimo não vem da lei de Moisés, vem antes dela e deve prevalecer também depois dela.

Teste Grátis!

Gestão Online para Igrejas Evangélicas
Aplicativo completo, fácil e prático para o controle total da secretaria e do financeiro através do computador ou celular.

Ser Dizimista

Quando escolhemos ser dizimistas, estamos participando ativamente e não apenas assistindo ao processo de evangelização e manutenção da igreja.

No nosso coração temos que acreditar que o dízimo jamais será uma obrigação, devemos ofertá-lo de forma consciente e espontânea, deixando florescer a nossa generosidade e a nossa preocupação com os destinos da igreja e do povo de Deus.

Devemos encarar o dízimo, o ato de poder doá-lo, como uma alegria e uma benção, por isso ser dizimista é um testemunho de fé em Deus e de confiança em Suas promessas.

Todos nós sabemos que a igreja cristã tem uma grande missão, conforme está escrito no final do Evangelho de Mateus, “pregar e fazer discípulos de todas as nações…”, essa é a ação mais importante, digamos o resultado final das demais ações.

Mas é importante que também tenhamos consciência de que o mundo passou por enormes transformações, evoluiu socialmente, tecnologicamente entre outros aspectos, hoje é impossível pregar na beira da estrada, sobre um monte ou de uma barca na beira do mar como Jesus fazia.

A Igreja de Hoje

Obviamente que também defendemos a ideia de que a igreja não é o prédio, nem o seu cnpj, nem o seu estatuto social, mas ela precisa deles para existir no mundo dos homens, sem uma estrutura a igreja não tem como desenvolver os seus trabalhos.

Como dissemos nesse artigo Metas Para a Igreja Crescer, toda instituição deve ter como meta o crescimento de suas atividades e ainda que isso não pode ser diferente com a igreja cristã, justamente para que ela possa alcançar os seus objetivos.

A igreja desenvolve atividades que são próprias e exclusivas dela, tais como batismo, escola bíblica dominical, cultos de evangelização, aconselhamento espiritual, para casais, entre outros, e tudo isso precisa de uma estrutura física, de pessoas para auxiliar e da burocracia para poder funcionar.

Além de todas as atividades e da estrutura que a igreja precisa, ainda temos que lembrar que Deus separa homens e mulheres e os capacita para fazerem a obra, estarem a frente dos trabalhos da igreja e esses precisam tirar dali o seu sustento, aliás, nada mais justo.

A Importância do Dízimo para as Igrejas

Não é necessário muito esforço para entender que tudo isso tem um custo, como sempre enfatizamos a igreja não deve buscar o lucro, como fazem as empresas. A igreja vai precisar de recursos para sua manutenção e o dízimo é a mola mestra de toda essa estrutura.

No Brasil, o parlamento entendeu a importância dessas receitas para a igreja, na verdade para todas as igrejas, independente do culto, mas nós nos referimos a igreja cristã, assim por força de um mandamento constitucional, as receitas de dízimos e ofertas que ingressam no caixa da igreja estão imunes de toda e qualquer tributação.

Dito tudo isto, é importante que consigamos transmitir essa mensagem ao nosso quadro de membros sobre a importância do dízimo para as igrejas evangélicas, o dízimo tem um valor sagrado para igreja e o dizimista no seu coração cria um vínculo especial com Deus.

Alguns Cuidados sobre o Dízimo

A título de orientação, é válido frisar que o Código Civil proíbe a exposição vexatória das pessoas, por isso é prudente que a igreja não deixe publicar, circular ou afixar lista que contenha valores doados pelos dizimistas ou lista de não contribuintes ou faltantes.

Ainda é bom lembrar que não é proibido a confecção desses relatórios para conferência e trabalho de gestão dos administradores. O que não é recomendado é expor esses dados ao público, sob pena de a instituição ser responsabilizada civil e criminalmente, portanto, todo cuidado é pouco.

Falando um pouco mais sobre normas técnicas, no Brasil existe uma norma que trata dos procedimentos específicos para os registros contábeis das entidades sem finalidades de lucros e ela enfatiza que “As receitas, doações, subvenções e contribuições para custeio ou investimento devem ser registradas mediante documento hábil”.

Nesse sentido podemos afirmar que somente a igreja tem a capacidade jurídica de documentar o “Fato Administrativo” que se refere ao recebimento da receita de dízimos ou ofertas e isso só é possível com um sistema de controle de recebimentos de dízimos, seja nominal seja pelo total.

O nosso sistema SigiWeb conta com uma rotina específica para o controle e recebimento de todas as receitas da igreja, inclusive dízimos e ofertas, você pode criar novos tipos de receita, é totalmente integrado com caixa e bancos e ainda é possível emitir o recibo, inclusive em impressora térmica.