Sete Passos Para Ter o Controle da Sua Igreja

Sete passos para ter o controle da sua igreja

Todo cristão deve saber que a igreja de Jesus Cristo tem um papel importante na sociedade e ele, o cristão, é catalisador, uma parte importante e essencial no processo de crescimento da obra evangelizadora da igreja em que congrega.

É fácil de enxergar ao nosso redor que muitas pessoas desdenham da nossa fé, muitos se declaram e assumem sua posição de ateus, muitos outros se dizem acreditar em Deus, mas não seguem nenhuma religião.

Se a nossa igreja tem um papel importante na sociedade atual, não menos importante é o papel do cristão, é ele que da vida a sua igreja e a faz caminhar, foi para os homens que Cristo deixou a mais importante missão: Ide por todo mundo, pregai o evangelho a toda criatura.

Lá no começo do cristianismo a igreja primitiva, mesmo perseguida, prosperava cumprindo esses mandamentos: “E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que haviam de salvar”, (Atos 2:46-47).

Hoje a igreja está longe de estar nas graças do povo, o “partir do pão” já não da mais o tom no seio do cristianismo como era na igreja primitiva, obviamente que de lá pra cá muita coisa mudou e a desigualdade é um dos grandes problemas que afeta principalmente o Brasil.

Teste Grátis!

Gestão Online para Igrejas Evangélicas
Aplicativo completo, fácil e prático para o controle total da secretaria e do financeiro através do computador ou celular.

Claro que esses problemas de ordem social não são responsabilidade direta e nem “culpa” da igreja, claro que não, mas nós defendemos que a igreja precisa exercer o seu papel no resguardo dos direitos da cidadania, cumprindo com seus deveres, tendo consciência de que a igreja é importante para a sociedade.

Para cumprir a sua missão e desempenhar o seu real papel na sociedade, a igreja precisa crescer e estar organizada, nós precisamos compreender que essa não é uma tarefa fácil e está a atrelada a outros fatores que saem um pouco do foco da missão institucional da igreja.

Listamos abaixo alguns fatores, que se bem aplicados, podem contribuir para que a igreja alcance seus objetivos, afaste alguns problemas de ordem administrativa, cumpra suas finalidades estatutárias e possa crescer com responsabilidade.

Descentralizar as decisões

Como dissemos nesse artigo Metas para a Igreja Crescer, a igreja é organismo vivo e ao mesmo tempo é organização com obrigações diversas, sob esses dois prismas ela tem objetivos diferentes, de um lado pregar o evangelho e ganhar novas almas e de outro cumprir obrigações tributárias, fiscais e contábeis.

Para existir diante das duas visões, a igreja precisa desenvolver no seu cotidiano diversas atividades, realizar cultos, manter a escola bíblica, realizar batismos, encontros, comprar bens, obter alvará de funcionamento, comprar material de manutenção, etc.

Quando a igreja centralizar todas as decisões na figura do seu Pastor Presidente o próprio processo de gestão tende a ser menos eficiente, até porque ele vai estar mais concentrado ou vai ter mais afinidade com as questões espirituais e nem sempre tem total domínio sobre as questões burocráticas.

Por isso a importância de se descentralizar a gestão da igreja, neste artigo A Igreja em Departamentos enfatizamos a necessidade de criar se departamentos enquanto a igreja cresce, justamente para auxiliar nas diversas demandas da igreja, seja na esfera espiritual ou na administrativa.

Gestão financeira

Como sempre temos enfatizado a igreja não deve ser vista como empresa e não deve buscar o lucro, mas ela precisa de recursos para se manter, cumprir as suas finalidades estatutárias e cumprir o seu papel relevante na sociedade.

Neste artigo Porque Minha Igreja Precisa de Gestão Financeira demonstramos que a gestão tem um papel de extrema importância para a instituição, principalmente a gestão financeira, justamente porque ela visa garantir que a entidade tenha dinheiro suficiente para sua manutenção e possa sustentar seu crescimento.

No âmbito da gestão financeira para igrejas temos como tarefas avaliar fluxos, fazer análises e tomar decisões estratégicas quanto as entradas de dízimos e ofertas, correta distribuição e administração dos valores que sustentam as atividades da igreja, maximizando os recursos da entidade, procurando fazer mais com menos.

Gestão patrimonial

Os bens mais importantes da instituição igreja são intangíveis e se constituem pelos seus valores espirituais e morais, entretanto, a igreja enquanto instituição precisa de recursos humanos, materiais e financeiros para cumprir com suas finalidades.

Hoje não se pode mais pregar a beira do caminho ou sobre um monte como Jesus fazia, a evolução da sociedade, a modernidade e um mínimo de conforto são necessários para a igreja existir e acomodar os seus membros nas suas dependências.

Por isso a igreja, além do prédio, tem o direito e precisa adquirir bens materiais diversos para dar sentido a sua existência, como bancos, púlpito, armários, mesas e cadeiras, material de evangelização, equipamentos musicais, computadores entre outros que vão compor o patrimônio da igreja.

Assim para a igreja, que é uma comunidade, é um grande desafio gerir os seus bens e ainda fazer com que esses recursos sejam geridos de maneira eficiente e não sejam desperdiçados ou tenha a sua finalidade desviada.

Nós sabemos que uma boa parte das atividades da igreja são feitas através do voluntariado, desta forma, muitas vezes as pessoas não têm formação específica e as vezes nem mesmo noção do serviço que está executando.

Por isso é de extrema importância que os gestores tenham consciência de que a gestão patrimonial é algo que está ligado a missão principal da igreja, os bens que a igreja adquire vão servir para dar suporte a sua atividade, justamente por isso, deve-se separar pessoas capazes para realizar esta rotina periodicamente.

Foco na evangelização

Quando Jesus perguntou a Pedro, por três vezes, se este o amava e na resposta positiva de Pedro, Jesus também lhe disse, três vezes – Apascenta minhas ovelhas – na nossa modesta visão Jesus preparava Pedro para ser o líder da igreja primitiva que ali nascia.

Jesus não queria deixar dúvidas desse amor e como Ele tem consciência de tudo, sabia que Pedro deveria estar preparado para o privilégio de ser o escolhido e das dificuldades advindas em assumir tamanho compromisso.

A repetição da pergunta também indica que Pedro deveria ter foco no seu trabalho de apóstolo, subentendido no amor pleno a Jesus. Desta forma, somente esse amor poderia dar a Pedro e aos demais apóstolos a capacidade de “apascentar as ovelhas”, ou seja, cuidar da igreja de Cristo.

A grande missão da igreja é trazer novas almas para ouvir o Evangelho de Cristo, a igreja precisa alcançar novas pessoas, trazê-las para conhecer o evangelho, treiná-las e enviá-las para dar a boa nova aos demais, isso é evangelizar.

A igreja tem outras responsabilidades de ordem espiritual com os membros como batizar, realizar casamentos, organizar a escola bíblica, entre outros, mas evangelizar é a nobre missão da igreja, não é um dom individual, mas uma ordem de Cristo a igreja.

Treinar a liderança

Se entre os passos para ter o controle da sua igreja está “descentralizar as decisões” não poderíamos deixar de lado a tarefa de treinar a sua liderança. Seria um trabalho em vão delegar tarefas para pessoas incapazes ou que não tem noção da tarefa que lhes é confiada.

Quando saiu do Egito e chegou em Midiã, Moisés que foi um grande líder, acatou um conselho de Jetro, de constituir entre o povo hebreu, homens capazes e tementes a Deus para dividir com eles as suas responsabilidades.

Se tivermos toda a responsabilidade da igreja ancorada em apenas um líder, isso não é saudável para ele, nem para a igreja. Ocupar a liderança de uma igreja envolve muito investimento em si e na vida das pessoas e até o mais preparado dos homens vai encontrar um limite quanto ao número de pessoas que ele pode cuidar.

Quando se investe em treinar novos líderes com capacidades de ensinar, discipular e evangelizar, estamos levantando outros que podem ajudar a cuidar da saúde da igreja em geral, contribuindo para que ela possa crescer com segurança e consistência.

Comunicação Social

Nós já escrevemos mais acima que a principal missão da igreja é a evangelização, não tem como evangelizar sem se comunicar, visto que, no nosso meio, evangelizar é necessariamente um ato de comunicação, Paulo disse que evangelizar é uma obrigação que nos é imposta.

Para expandir as suas próprias fronteiras a igreja precisa se apropriar de ferramentas diversas para a comunicação, a internet e as demais tecnologias disponíveis devem ser encaradas como nossas aliadas.

Comunicar significa partilhar algo, tornar algo comum, de uma forma muito básica precisamos de três coisas para efetivar a comunicação: um transmissor, um receptor e a mensagem. Esses são os três pilares da comunicação e entre eles pode aparecer um quarto item que denominamos de ruído.

Sete passos para ter o controle da sua igreja

Ruído é tudo que pode atrapalhar a comunicação, quando falamos em tecnologia pode ser uma torre de transmissão, um acidente geográfico, mas na maioria dos casos os problemas de comunicação advêm de frases mal formuladas ou interpretação errônea de quem recebe a mensagem.

Não que seja absolutamente necessário, tudo a seu tempo, mas a igreja que almeja colher frutos e crescer precisa pensar com carinho na comunicação.

Rotinas como divulgação de eventos, construir a identidade da igreja, padronização de correspondências, acompanhamentos de redes sociais, produção de imagens, entre outros deve ser atribuição de um departamento dedicado.

Usar a tecnologia

Já foi o tempo que tínhamos ficha datilografadas, cheias de corretivos e rabiscos em geral, os cadastros de membros precisam ser organizados e catalogados de forma eletrônica. A gestão financeira e contábil da igreja precisa de softwares específicos, ágeis, práticos e a prova de erros.

Sete Passos para ter o controle da sua igreja

A tecnologia é algo que veio para ficar, no artigo O Desafio da Tecnologia para a Igreja Cristã, escrevemos que para cumprir o grande mandamento de Jesus para a igreja, ela precisa acompanhar a evolução, suas invenções e a própria tecnologia.

Hoje nós vivemos um tempo totalmente diferente daquele de quando a igreja foi criada, nós precisamos aproveitar o melhor da evolução e utilizá-los para ajudar a igreja a crescer, isso não significar desvirtuar o evangelho.

O SIGIWEB é uma aplicação web totalmente voltada para a gestão de igrejas, principalmente aquelas que querem aproveitar o máximo da tecnologia e da mobilidade, você pode cadastrar membros, visitantes, crianças e congregados e lançar dízimos e ofertas de qualquer lugar com internet.